26.12.07

BOLSA LITERÁRIA DA FUNARTE: ESTRANHA AVALIAÇÃO

A publicação da matéria no jornal O Globo, em 23 de dezembro, amplia oespaço de discussão, mas a resposta dos jurados não dirimiu minhasdúvidas. Ou certezas? De que forma os jurados da Bolsa Funarte deIncentivo à Literatura avaliaram, em menos de dois dias, os trabalhos inscritos no último prazo (10/12/07), se havia acúmulo de tantosoutros? O resultado saiu em D.O. dois dias depois!
Cinco jurados avaliaram 484 projetos em apenas três dias. Mesmo que estaproeza tenha sido realizada, como crer que meu projeto, (entre tantos deigual importância), foi analisado com o esmero e o respeito que dediquei à sua elaboração e ao prêmio?
Trabalhei, durante madrugadas, na elaboração minuciosa do vasto materialsolicitado, para cumprir o prazo. Enviei, além do currículo COMPROVADO,sete exemplares de livros e cinco DVD`s (síntese da minha carreira) que, segundo o edital, não serão devolvidos. Mais de 500 páginasencadernadas. Imprimi ao meu sonho energias intelectual, física eemocional inumanas. Jamais participaria se soubesse que o resultadoseria definido dois dias após o prazo máximo da inscrição.
Esta questão diz respeito não só aos escritores, mas a todas as pessoasque lutam por transparência e Justiça neste País.
CARMEN MORENO é escritora carioca. Publicou: Diário de Luas (Rocco),Sutilezas do Grito (Rocco); O Primeiro Crime (Rocco) e O Estranho(Fivestar).

E-mails: carmenmoreno2@gmail.com;carmenmoreno@oi.com.br

20.12.07

MENSAGEM DE FIM DE ANO

MESMO QUE NÃO SEJA NATAL, NEM ANO NOVO SEJA...


Não pesarei o tempo,

nem seccionarei o mundo

em cortes sagitais.


Trocarei as compressas das feridas,

pelo algodão doce.

A maçã das dietas,

pela dos amores.


(-Waldir, trecho do poema – Pelas calçadas –)


Desejo a todos os meus amigos, aos conhecidos, aos que não conheço tanto, aos que apenas nos cruzamos, aos que somos contemporâneos, aos que nos afagamos com o olhar, com as palavras, com o aceno, o aperto de mãos, o beijo ou o abraço, com a lembrança; ou simplesmente aos que marchamos no desmesurado caminhar humano: a alegria das festas, o vigor para o ano de 2008, e desejo, muita poesia para o mundo!


O carinho de


Waldir Pedrosa Amorim


Dezembro de 2007.

waldirpedrosa@gmail.com

http://www.blogdowaldirpedrosa.blogspot.com/