24.2.07

ONDAS LITERÁRIAS

Ondas Literárias estréia na Tabajara com debate sobre a obra de Guimarães Rosa e os 50 anos do Concretismo


A literatura vai ganhar seu espaço nas ondas do rádio. No próximo domingo, a Rádio Tabajara FM estréia um programa totalmente dedicado à divulgação da literatura. Trata-se de "Ondas Literárias", programa que irá ao ar todos os domingos às 18 horas e será reprisado às 20 horas da terça-feira na Tabajara AM. "Onda Literária" será comandado por Linaldo Guedes e Bia Kelly e abordará, no programa de estréia, a obra de Guimarães Rosa, através de entrevista com Rinaldo de Fernando, e os 50 anos do concretismo, através de entrevista com Amador Ribeiro Neto.
"Ondas Literárias" vai ser um espaço aberto para divulgação da literatura, em todos os níveis. O programa abordará temas específicos, além de fazer entrevistas com escritores e poetas paraibanos e de outras partes do país. Também terá espaço para declamação de poemas, dicas de livros, divulgação de lançamentos literários e de CDs com poetas e escritores, além de músicas baseadas em poemas ou com motivos literários.
Guimarães Rosa, um dos personagens abordados no primeiro programa, nasceu em Cordisburgo (MG) a 27 de junho de 1908 e era o primeiro dos seis filhos de D. Francisca (Chiquitinha) Guimarães Rosa e de Florduardo Pinto Rosa, mais conhecido por "seu Fulô" comerciante, juiz-de-paz, caçador de onças e contador de estórias. É autor de clássicos da literatura universal e considerado um dos escritores mais originais do universo literário. Dois de seus livros, "Sagarana" e "Grande Sertão: Veredas", comemoraram datas históricas no ano passado. O primeiro fez 60 anos da primeira publicação, enquanto o segundo comemorou 50 anos.
Também no ano passado, o escritor Rinaldo de Fernandes lançou, pela editora Garamond do Rio de Janeiro, o livro "Quartas Histórias", com uma seleção de contos de autores contemporâneos baseados na obra de Guimarães Rosa. No programa "Ondas Literárias", Rinaldo vai falar sobre este livro, sua produção como contista e sobre a importância da obra de Guimarães Rosa. Rinaldo de Fernandes é doutor em Letras pela Unicamp e professor de literatura da Universidade Federal da Paraíba. Organizador dos livros "O Clarim e a Oração: cem anos de Os sertões", "Contos Cruéis", "Chico Buarque do Brasil" e "Quartas Histórias". Como pesquisador, fez os textos da antologia "Os cem melhores poetas brasileiros do século", organizada por José Nêumanne Pinto. É autor dos livros de contos "O Caçador" (1997) e "O perfume de Roberta" .
O outro assunto abordado na estréia de "Ondas Literárias" é o Movimento Concretista, que no ano passado comemorou 50 anos. O Concretismo é um movimento vanguardista surgido em 1950. Defendia a racionalidade e rejeitava o expressionismo, o acaso, a abstração lírica e aleatória. Nas obras surgidas no movimento, não há intimismo nem preocupação com o tema, seu intuito é acabar com a distinção entre forma e conteúdo e criar uma nova linguagem. Durante a década de 1960, poetas e músicos do movimento passam a se envolver em temas sociais, geralmente sem influência na obra, sendo somente uma ligação pessoal. As obras passam a ser mais e mais preocupadas com a inovação da linguagem. É até hoje um movimento que divide opiniões no cenário literário nacional.
O poeta Amador Ribeiro Neto é convidado para falar sobre a importância do movimento. Amador Ribeiro Neto, Doutor em Semiótica pela PUC-SP, Amador é professor de Teoria da Literatura na UFPB (Universidade Federal da Paraíba). Durante muitos anos, escreveu regularmente crítica literária em diversos jornais de São Paulo. Poeta, é autor de "Barrocidade", lançado pela Landy Editora. Segundo Frederico Barbosa, a poesia de Amador tem textos contundentes, escritos com rigor e perpassados por uma dicção personalíssima. "Raros. Raríssimos nesse mar de "correção" retrógrada que tem dominado a nossa poesia nos últimos tempos".

SOBRE OS APRESENTADORES

O programa Ondas Literárias será produzido e apresentado por Linaldo Guedes e Bia Kelly.
Linaldo Guedes nasceu em Cajazeiras (Alto Sertão da Paraíba), em 16 de junho de 1968. É poeta, tendo publicado seu primeiro livro "Os zumbis também escutam blues e outros poemas" (Textoarte Editora), em 1998, e o segundo, "Intervalo Lírico" (Dinâmica Editora), em 2006. Tem poemas seu incluídos em vários sites de literatura. Lançou, ainda, "Singular e Plural na poesia de Augusto dos Anjos" (ensaio, editora A União) e co-organizou os livros "Correio das Artes, 50 anos", volumes de poesia e contos (Editoras A União e Universitária, 1999) e "Diálogos" (Editora Aboio, 2004). É também jornalista, tendo atuado pelos principais jornais de João Pessoa, como O Momento, Correio da Paraíba, Norte e A União, além de ter trabalhado, ainda, na TV Tambaú e nas Rádio Tabajara FM, Cultura de Guarabira e Líder Fm de Santa Rita. É criador do LiterArte Musical, projeto que coordenava com Petra Ramalho. Atualmente edita o caderno de Cultura e o suplemento literário Correio das Artes, ambos do jornal A União.
Bia Kelly nasceu em João Pessoa, em 18 de junho de 1979. É radialista formada pela UFPB onde foi responsável pelo acervo cinematográfico em 16 mm do NUDOC, Núcelo de Documentação Cinematográfica da UFPB. Produziu também o documentário "Ave, Guia", um levantamento histórico sobre a Igreja de Nossa Senhora da Guia, em Lucena. No rádio produziu programas como "Rede Verdade", apresentado pelo jornalista Giovanni Meireles, e "A Voz da Paraíba" com Jonas Batista. Apaixonada por Augusto dos Anjos, sempre sonhou em apresentar um programa de rádio que unisse música e literatura.